quinta-feira, 6 de maio de 2010

queima de carma




Ritual de Queima de Carma
É um Ritual específico, pode ser feito em qualquer horário do dia (os Mestres não aconselham esse Ritual à noite). Geralmente, o melhor horário para os Rituais é pela manhã, logo ao raiar do dia, quando os primeiros raios de sol surgem no horizonte.
O Conselho Cármico reune-se duas vezes por ano: em 30 de junho e em 31 de dezembro para avaliar todos os karmas do planeta (na Era de Aquário esse procedimento acontece com maior frequência). O karma coletivo, após avaliado pelo Conselho é atenuado ou transmutado, segundo o merecimento e a evolução da humanidade. Caso você tenha um problema específico e quiser entregar nas mãos dos Senhores do Karma, poderá fazê-lo a qualquer tempo, solicitando aos Mestres que, segundo o seu merecimento, atenuem ou transmutem os seus karmas. Para realizar este Ritual você necessita de uma vela na cor violeta, um incenso do Raio Violeta e um local onde possa realizá-lo com privacidade. Então escreva (literalmente) uma carta aos Senhores do Karma, nestes termos:

Aos Senhores do Karma Data..............................
Solicito a avaliação e, segundo o meu merecimento, a atenuação ou transmutação dos karmas a seguir relatados:

CORPO FÍSICO: descrever as doenças físicas – kármicas ou não – imperfeições ou desequilíbrios, hábitos alimentares ou vícios.
CORPO MENTAL – descrever as formas-pensamento, preconceitos, crenças, valores limitantes negativos, pensamentos e palavras nocivos que ainda tenho e que não desejo mais ter.
CORPO EMOCIONAL – Descrever as emoções negativas, sentimentos negativos que ainda nutro e irradio, mágoas, raivas, etc. Os sentimentos gerados por outras pessoas ou por relacionamentos. Colocar os nomes das pessoas que geraram algum mal (vilões) ou que foram minhas vítimas (descrever os nomes das pessoas e os tipos de energia ou sentimento que geraram).
CORPO ETÉRICO – Toda a negatividade que eu gerei e que pode ser um karma contra o qual estou lutando. Minhas criações negativas que ainda permanecem registradas em meu corpo etérico. Neste espaço posso incluir tudo quanto vejo ou sinto de negativo em meu prédio, em minha cidade, País e no Planeta, descrevendo tudo quanto considero negativo ou nocivo (o que irá trabalhar em nível coletivo e também em meu corpo emocional).

Sua assinatura.

Após concluída a carta, iniciar o Ritual: Acender a vela violeta; invocar o Bem-Amado Mestre Saint Germain; o Fogo Violeta; O Príncipe Oromassis; os Senhores do Karma e todos os Seres do Raio Violeta. Fazer uma visualização do fogo Violeta envolvendo todos os corpos, a aura e o local do Ritual. Pedir, com intensidade, que todo o conteúdo da carta seja avaliado e, no mínimo, atenuados os karmas ou, conforme o merecimento, transmutados.
Queimar a carta na chama da vela violeta (deixar que a vela queime até o final). Agradecer, sinceramente e encerrar o ritual, jogando as cinzas da carta na Terra (no jardim ou num vaso com planta).

Considerando que, ao escrever a carta a vibração tornou-se densa, deve-se, imediatamente, escrever outra carta, desta vez com o conteúdo oposto ao da primeira. Em cada corpo, registrar os pontos positivos, as coisas boas que nunca agradecemos ou não valorizamos (fazer isso com todos os corpos). No corpo emocional registrar sentimentos bons e os nomes das pessoas que nos fizeram bem, a quem devemos somente amor e gratidão. Registrar os mesmos nomes da carta anterior, agora enaltecendo suas virtudes. No corpo etérico, registrar os karmas positivos. Depois coloca-se também as coisas positivas do prédio, da cidade, do País e do Planeta. Mencionar ainda, o trabalho dos elementais, porque esta é uma carta de reconhecimento e agradecimento.
Esta carta será lida novamente antes de dormir, e colocada sob o travesseiro. No dia seguinte, guardá-la num local especial, onde se guardam as coisas importantes (documentos). É importante ler em voz alta esta carta de vez em quando, inclusive nos próximos rituais, quando pode-se usá-la, pois não há necessidade de escrever outra carta.
O Ritual da Queima do Karma pode ser feito várias vezes, sempre que sentir necessidade ou que estiver passando por uma situação difícil. Esta é uma forma de juntar e queimar de uma só vez, num único momento. A carta positiva poderá ser sempre a mesma do primeiro ritual. Na Ponte para Liberdade, escreve-se uma carta para o Maha Chohan (Grande Diretor Divino), a qual é queimada pelo oficiante durante o Ritual.